Prédio Autosuficiente

<
>
Resumo
Nova geração de prédios autossustentado, explorando ao máximo o conceito e, assim, gerando alimento e energia, economizando e gerenciando água e tratando seus dejetos orgânicos e lixo.
Descrição

Novas exigências e subsídios da prefeitura, para projetos e construção de novos prédios e conjuntos, de forma que sejam pensados como torná-los autosuficientes. Por exemplo, posicionando em relação ao vento predominante (leste) e ao sol, o prédio ou conjunto para melhor captar o vento e acionar conjuntos de usinas eólicas, para produzir energia acumulando e repassando ao prédio, posteriormente, ou devolvendo a rede pública. Sistema de separação e captação de resíduos orgânicos para processamento e transformação em adubo orgânico para horta e pomar, no teto verde do edifício e nas varandas. Biodigestor para produção de gás. Apartamentos avarandados para aproveitar a luz, refrescar o prédio e ser plataforma para canteiros de plantas, integrados sob administração do prédio, na rega, adubação e colheita. Espaço vazio no interior do prédio para ser um poço de ventilação, poço de elevadores e corredores, de modo a também aproveitar a luz natural. Separação de lixo orgânico como já dissemos, para hortas/pomar e geração de gás para energia. Reciclados para a coleta urbana. Mini estação de tratamento de esgotos, massa para biodigestor e água reciclada Sistema de captação de água da chuva, para se reunir ao depósito para água reciclada. Com essas ações e outras propostas por técnicos, com certeza, reduziremos as emissões de carbono, reduziremos o gasto de energia elétrica e sua dependência, economizaremos recursos naturais e teremos prédios mais "humanos", cidades melhores.

Temas

Por um Rio+ ...